CIDADÃOS ORGANIZAM “NATAL DA MAMÃ ZUNGUEIRA” O distrito do Zango, no município de Viana, foi hoje, dia 23, palco da primeira edição do “Natal da Mamã Zungueira”, uma iniciativa de um grupo de cidadãos angolanos que decidiram homenagear os esforços que destas mulheres angolanas e o elas representam para as suas famílias e sociedade de forma geral. Texto de Simão Hossi A iniciativa beneficiou um número de 50 mulheres de várias idades que exercem no dia a dia a actividade da zunga no município de Viana. Em conversa com a Rádio Angola, Amarildo Will Bento Tonet, mentor da iniciativa que uniu os amigos, teve que esperar por três anos para ver concretizado este desejo em homenagear as mulheres que sustentam as suas famílias e formação dos seus filhos deambulando pela cidade. Amarildo Tonet | DR Para Amarildo Tonet, a iniciativa foi também para sentir o afecto, abraçar e brincar com as mulheres de forma a demonstrar e valorizar os seus esforços do dia a dia, reconhecer os esforços de ver mulheres que são ao mesmo tempo pais e mães, e sobretudo que muitos delas são solteiras e, às vezes, mesmo aquelas que têm marido alguns estão desempregados, pois que “foi um bom motivo para matar a carência do afecto que se tinha para com eles”, afirmou Tonet. Questionadas, algumas zungueiras garantiram que a iniciativa foi algo de louvar, porque a oferta que elas chamaram de cabaz servirá para garantir um natal condigno às suas famílias. Muitas afirmaram que estavam toda a manhã sem terem ainda vendido algo para que tivessem o jantar para os filhos e, “de repente, aparece alguém que te convida para te oferecer alimentos de favor é uma bênção”, afirmou uma das nossas interlocutoras. Amarildo, para além de receber contribuições e apoio de amigos, teve apoio da sua família, isto é, a sua esposa e suas filhas que ajudaram a organizar os “cabazes das zungueiras”. Amarildo garantiu que haverá a segunda edição no próximo ano e que as mulheres beneficiárias deste ano passarã

post-image

Marcha sobre o repudio à violencia contra as mulheres em Angola no dia 25 de Novembro de 2017.

O atual executivo governamental que tomou posse excluiu as mulheres na gestao das Cidades, mesmo os dados do Censo nos dizer ou seja ditar que elas, as mulheres sao a maioria da população no País

post-image

Fonte: Radio Angola Bernardo Armando Kitubia, de 38 anos de idade, espancou a sua esposa até a morte na noite de domingo, 17, no bairro Caop-B, município de Viana, alegadamente por ciúme. Reportagem de Dionísio António A jovem, que em vida chamava-se Marisa de Almeida Sebastião, de 34 anos de idade, estava grávida de oito meses, segundo a irmã. Esperança Francisco, amiga e vizinha da malograda, contou que o alegado assassino era agressivo. A família está agastada com a situação e implora por justiça. A relação de vinte anos gerou quatro filhos, agora órfãos. Bernardo Armando encontra-se foragido. Oiça a reportagem: https://www.radioangola.org/marido-espanca-esposa-ate-a-morte/

A informação é um poder que deve ser visto e entendido por todos, tal como a Constituição da República de Angola prevê.

Comment test

A informaýýo ý um Poder que deve ser bem visto ý entendido por todos, tal como a Construýýo da Repýblica de Angola prevý

asdjkashdk

Bajslal sjsk

CIDADÃOS ORGANIZAM “NATAL DA MAMÃ ZUNGUEIRA” O distrito do Zango, no município de Viana, foi hoje, dia 23, palco da primeira edição do “Natal da Mamã Zungueira”, uma iniciativa de um grupo de cidadãos angolanos que decidiram homenagear os esforços que destas mulheres angolanas e o elas representam para as suas famílias e sociedade de forma geral. Texto de Simão Hossi A iniciativa beneficiou um número de 50 mulheres de várias idades que exercem no dia a dia a actividade da zunga no município de Viana. Em conversa com a Rádio Angola, Amarildo Will Bento Tonet, mentor da iniciativa que uniu os amigos, teve que esperar por três anos para ver concretizado este desejo em homenagear as mulheres que sustentam as suas famílias e formação dos seus filhos deambulando pela cidade. Amarildo Tonet | DR Para Amarildo Tonet, a iniciativa foi também para sentir o afecto, abraçar e brincar com as mulheres de forma a demonstrar e valorizar os seus esforços do dia a dia, reconhecer os esforços de ver mulheres que são ao mesmo tempo pais e mães, e sobretudo que muitos delas são solteiras e, às vezes, mesmo aquelas que têm marido alguns estão desempregados, pois que “foi um bom motivo para matar a carência do afecto que se tinha para com eles”, afirmou Tonet. Questionadas, algumas zungueiras garantiram que a iniciativa foi algo de louvar, porque a oferta que elas chamaram de cabaz servirá para garantir um natal condigno às suas famílias. Muitas afirmaram que estavam toda a manhã sem terem ainda vendido algo para que tivessem o jantar para os filhos e, “de repente, aparece alguém que te convida para te oferecer alimentos de favor é uma bênção”, afirmou uma das nossas interlocutoras. Amarildo, para além de receber contribuições e apoio de amigos, teve apoio da sua família, isto é, a sua esposa e suas filhas que ajudaram a organizar os “cabazes das zungueiras”. Amarildo garantiu que haverá a segunda edição no próximo ano e que as mulheres beneficiárias deste ano passarã

post-image

Marcha sobre o repudio à violencia contra as mulheres em Angola no dia 25 de Novembro de 2017.

O atual executivo governamental que tomou posse excluiu as mulheres na gestao das Cidades, mesmo os dados do Censo nos dizer ou seja ditar que elas, as mulheres sao a maioria da população no País

post-image

Fonte: Radio Angola Bernardo Armando Kitubia, de 38 anos de idade, espancou a sua esposa até a morte na noite de domingo, 17, no bairro Caop-B, município de Viana, alegadamente por ciúme. Reportagem de Dionísio António A jovem, que em vida chamava-se Marisa de Almeida Sebastião, de 34 anos de idade, estava grávida de oito meses, segundo a irmã. Esperança Francisco, amiga e vizinha da malograda, contou que o alegado assassino era agressivo. A família está agastada com a situação e implora por justiça. A relação de vinte anos gerou quatro filhos, agora órfãos. Bernardo Armando encontra-se foragido. Oiça a reportagem: https://www.radioangola.org/marido-espanca-esposa-ate-a-morte/

A informação é um poder que deve ser visto e entendido por todos, tal como a Constituição da República de Angola prevê.

Comment test

A informaýýo ý um Poder que deve ser bem visto ý entendido por todos, tal como a Construýýo da Repýblica de Angola prevý

asdjkashdk

Bajslal sjsk